TECNOLOGIA CONVENCIONAL


As estações de potabilização equipadas com tecnologia convencional estão especialmente recomendadas tanto para o tratamento de águas superficiais (rios, lagos e barragens), como para o tratamento de águas de poço que precisem da remoção de certos poluentes específicos (ferro, manganésio, arsénico, etc.). Na construção destas estações são utilizadas tecnologias de potabilização como a crivagem, a oxidação, a coagulação, a decantação, a filtração de areia, o carvão ativado, a desinfeção, etc. E todo esse processo de tratamento é construído sobre umas estruturas similares às dos contentores marítimos de 20 ou 40 pés.


A linha de tratamento desse tipo de estações pode
ser equipado com as seguintes tecnologias:

  • Bombeamentos: a partir da captação de água clarificada, etc.
  • Desbaste inicial: remoção de partículas grossas e flutuantes mediante hidrociclone.
  • Reações de oxidação: para precipitar os iões metálicos solúveis (As, Mn, etc.)
  • Dosagem de reativos: como compostos oxidantes para uma pré-desinfeção e coagulantes para favorecer a precipitação de coloides e formação de flóculos.
  • Decantação lamelar: para a sedimentação de flóculos formados na etapa anterior minimizando o espaço requerido para isso.
  • Filtração: de areia, AFM e carvão ativado até conseguir a qualidade final.
  • Pós-tratamento: cloração em linha, através de dosagem de cloro gás ou hipoclorito.


A água tratada neste tipo de estação contentorizada
assegura os seguintes níveis de qualidade:

Nome
da ETAP
BDTKGIP-5
BDTKGIP-25
BDTKGIP-50
BDTKGIP-100
BDTKGIP-200
Caudal
(m3/h)
5
25
50
100
200
POTÊNCIA KW
(consumida real)
7.5 (6.7)
10 (7.64)
20 (11.34)
50 (20.64)
115 (48.64)
Habitantes
suministrados
1200
6000
12000
24000
48000
Número de
contenedores
1 de 20 pés
2 de 20 pés
1 de 40 pés
2 de 40 + 1 de 20
3 de 40 + 2 de 20
tabla-tecnologia-convencinal-bidatek